segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Os outros

" Always let your conscience be your guide !"

Nomalmente quando usamos o termo "os outros" estamos inseridos num quadro de hipocrisia: " o que os outros vão pensar,falar,fazer.Como os outros se comportam,se vestem,como são".Temos uma noção bem clara do poder desse termo sobre nós ,e eu não duvido muito que este seja um dos maiores inimigos da alma,e claro,da essência,subjetividade.Resolvi citar um trecho de Olhai os lírios do campo,que eu ainda não terminei de ler,mas já me encantei com o livro (Erico Veríssimo tem esse poder),e uma passagem da bíblia,de onde ele provavelmente se inspirou.

"Mas se soubesses o que foi a minha vida.Rapaz pobre,João-ninguém,sempe humilhado,na luta danada pelo dinheiro... Antigamente o meu ídolo,o meu modelo,era o doutor Seixas.eu achava que devia ser grandioso a gente se entregar aos pobres,viver pra eles,não desejar nada além da caridade.- Largou o diploma num gesto dramático,deixando-o rolar escada abaixo.Olívia sorriu sem malícia.-Mas acontece que eu odeio a pobreza,odeio o anonimato.Quero ser alguém,ter um nome,ser repeitado,viver..."

--------------------------------------------

"E quanto ao vestuário,por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo,como eles crescem;não trabalham nem fiam (...) Pois,se Deus veste assim a erva do campo,que hoje existe e amanhã é lançada ao forno,não vos vestirais muito mais a vós,homens de pouca fé?"

---------------------------------------------

E é bem verdade que o ser humano necessita,mais do que nunca,de uma experiência autêntica em sua vida.Porque todos querem o maldito carro,a maldita casa,a maldita roupa de marca,que são expressões de nossa insegurança e covardia.Então é pra isso que pelejamos a vida toda,para depois da conquista viver uma vida de amostras,exibições? Eu quero prosperar o suficiente para não precisar de nada disso.Não condeno a ambição - pelo contrário,incompetência e preguiça me aborrecem muito,espero não ser mal interpretada- mas a ambição desmedida,que se vale de todos os meios e para todos os fins (mesmo aqueles mais bobos) é o grande pecado moderno.E é aqui que a consciência entra,enquanto muitos são guiados pelos "outros",outros buscam um caminho mais confiável para seguir.

5 comentários:

Lorena Rocco disse...

Agente fala muito dos outros e esquecemos de cuidar de nós mesmos..
Quero tudo isso porque acredito no conforto, mas confesso pensar muito no que os outro vão pensar. =/

--
Tem promoção de aniversário no Alices! Dá uma olhada. ;)

Milena M. disse...

Também me incomoda muito essa preocupação com a opinião alheia. Sim, ela ainda está presente em mim, mas procuro todo dia deixá-la pra trás. Quanto à ambição desmedida, essa me faz detestar algumas pessoas. Muito.
E Olhai os Lírios do Campo foi o primeiro livro que tive que ler no ensino médio. Mas pretendo reler, era muito boba na época, sabe?
Beijo! :*

Crispi. disse...

Eu detesto futilidade. Gente que é só embalagem, que não tem nada de conteúdo :(

Fran Carneiro disse...

Adorei. Especialmente esse trecho "Eu quero prosperar o suficiente para não precisar de nada disso.". E concordo contigo. Eu não condeno a ambição, porque desejo muitas coisas pra mim, não aquela roupa de marca (nem sou ligada a isso, sinceramente) nem aquele carro do ano. Quero coisas pro meu sustento, pra poder me sentir viva, para poder sentir que eu construí minha vida sem sugar ninguém, e mais que isso: sem pisar ou humilhar ninguém.

Letícia disse...

É natural. Precisamos de feedback para existir. Não acho que seja de todo ruim.
Bjs