terça-feira, 20 de abril de 2010

Crescer

Ainda com a lembrança permanente daquele que foi o meu primeiro show,que ocorreu neste último sábado,pude perceber com bastante clareza duas coisas: o quanto é difícil ser pai,e que eu,muito provavelmente,vou ser uma mãe bem fresca.Digo isso porque o que vi naquela noite foi o retrato de algo que me parecia exagero de adultos e uma realidade bem distante da minha.

Não vou entrar em detalhes sobre tudo,mas dá pra se imaginar o que ocorreu.Foi horrível ver gente conhecida e da minha idade,catorze anos, fumando e bebendo direto,e não era só o cheiro de cigarro que exalava forte por lá.Fiquei me perguntando como aquelas tantas meninas bêbadas,algumas até mais novas do que eu e que já estavam só de top,iriam entrar em seus carros de volta pra casa.

Eu sei,eu sei,isso deve ser normal pra muita gente.Mas eu,que passo todas as minhas tardes sentada de frente para uma lousa,com os olhos grudados em livros e rindo sempre com meus amigos,que agora vejo que eles até têm juízo,acho isso um absurdo e finalmente reconheci que me manter dentro de casa muitas vezes e resistir aos meus pedidos foi uma boa estratégia dos meus pais.

Já li livros como O clube do filme e Café-da-manhã com Tiffany,em que os adultos que acompanharam o crescimento de suas crianças contam a história,e sempre achei que hora eles são muito desconfiados,hora eles são muito bobos.Fazem caso só para brigar e mostrar autoridade com os jovens ou não demonstram autoridade suficiente quando o assunto é sério.Portanto cabe mais ao jovem se informar sobre o que é certo e o que é errado quando não se tem quem lhe diga.Acho que isso é crescer,aprender sozinho a fazer a melhor escolha.O problema é que pra chegar ao caminho certo,às vezes é preciso pegar muitos atalhos,e nem todo mundo sabe que é melhor seguir reto.

Mas é isso:Não há nada mais difícil que ter um filho.Ou você satisfaz os gostos dele e deixa-o livre nesse mundo cruel,pra experimentar coisas achando que assim ganha independência,ou deixa-o preso em casa,salvo do mundo e revoltado com você.

Então,voltando pra casa com meu irmão mais novo,senti aquela necessidade de protegê-lo,de corrigir os erros dele,de ser bem cuidadosa para evitar futuros problemas,de deixá-lo bem perto de mim e muito longe desse mundo malvado.Tentei não pensar muito no futuro dele,mas não tinha como.Tentarei protegê-lo até daqui a muito anos,dessa juventude dele que pra mim será desconhecida.Mostrarei a ele como se alcançar o caminho reto e assim caminharemos juntos para estrada mais elevada da vida.

P.S.:O show foi ótimo,com exceção de tudo aquilo.A chuva completou o evento.Todos ensopados,esperavam firmemente a entrada da banda,que cantou lindamente e fortaleceu ainda mais o sentimento que eu já sentia por suas músicas.

6 comentários:

Gabi Petrucci disse...

A juventude tá cada vez mais complicada. Mas uma coisa é fato, a gente só aprende quando quebra a cara, seja se envolvendo com o que é errado ou percebendo que pessoas próximas estão no caminho errado.

Mas fiquei curiosa, que show vc foi?

O Teatro Mágico é uma banda ÓTIMA, procure algumas músicas e leia um pouco sobre a banda. Tenho certeza que você vai adorar!

Beijo

naty c.m disse...

Por isso eu ainda nao decidi se quero ou nao ter filhos..hsuahsuah
É muita responsabilidade, sem contar o quão imunda a nossa sociedade está.

Ótimo texto!
Quem dera a maior parte de nós, adolescentes, tivessem consciência disso :x

Bill Falcão disse...

É verdade, Laís, crescer não é fácil, não.
Mas você tem cabeça boa, dá pra perceber pelos seus posts, sempre bem focados e coerentes. Vai ter algumas decepções pela vida, como acontece com todo mundo, mas também tem tudo pra viver uma vida rica de boas experiências. Só faltou uma coisa: que show foi esse?
Obrigado pela presença lá em nosso niver!
Bjoooo!!

Milena' disse...

Não consigo me imaginar mãe, tendo que criar alguém que no final seja legal e responsável, e ainda seja uma pessoa diferente das outras.
Já é difícil tentar ser apenas eu, quanto mais ser pra mais alguém. Esse mundo tá tão louco que as coisas fogem do nosso controle, e o mínimo que isso dá é medo. Por eles e por nós.
Amo seus posts, você é uma pessoa tão consciente!
ah, e vou aumentar o coro: show de quem?
:*

Sara disse...

Eu sonho em ter um filho, não agora, é claro, mas no futuro. E eu tentarei ser uma mãe muito boa com ele. Educando-o de modo, que ele veja o que é realmente bom à ele. Não o prenderei em casa, mas também não o deixarei livre. Pôs liberdade demais, sufoca. Por mais que eu critique meus pais, por muitas vezes, tudo que eles fazem é para o meu bem, e o seu post ficou extremamente fantástico, as vezes chega a ser chocante certas coisas que vemos crianças e adolescentes fazendo, está faltando bom senso nessa nova geração.

Beijos

Umrae disse...

Estava lendo seus textos, e achei você uma pessoa muito sensata e com uma boa compreensão de mundo.
Eu tenho muito medo de ser mãe, mas talvez eu arrisque. Acho que deve compensar o trabalho e a preocupação.
Bjo