sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Metas e verdades



Tudo que escolhemos têm grande influência da opinião e dos conselhos que recebemos.Cometemos erros enormes que juramos jamais repetir e prometemos dar o nosso melhor pros próximos desafios da vida.Buscamos o que consideramos certo para nós e tentamos,é claro,seguir o que os outros acham correto também.querendo ou não,damos o nosso melhor nos espelhando no que a opinião alheia julga que é bom.Não sabemos o que é realmente certo,mas aprendemos o que é mais valorizado e não temos certeza se tem,de verdade,algum valor.

Venho pensando bastante na verdade durante esses dias.Fazendo provas por mais de 2 semanas,esperando que já acabasse,me pergunto se essa decoreba toda vai ter alguma importância na minha vida daqui a alguns anos,ou meses até.Algumas coisas são necessárias,nem que sejam só pra "exercitar o cérebro",mas me pergunto porque isso tudo é exigido com tanta severidade.Se você for parar pra pensar,pode estar enganado das coisas mais óbvias do seu dia-a-dia e passou a vida inteira alimentando uma mentira que foi muito bem disfarçada com o nome de "é assim que tem que ser".

Aprendemos a ter sonhos,que por mais que sejam sonhos,eles devem acompanhar a realidade.Ouvimos falar bastante de liberdade,mas continuamos reprimindo nossas vontades por medo das críticas.Queremos ter opiniões próprias e bons argumentos,mas acabamos intimidados pela pressão que nos dão.Tentamos conquistar nossa independência mas permanecemos,durante muito tempo,dependendo dos outros.


Não sei se conseguiremos alcançar as metas que nasceram da nossa própria vontade.Não sei se continuaremos a não nos questionar.Não sei o que é certo nem o que é verdade,não sei pelo que vale a pena lutar e nem oque realmente devo fazer.O que é verdade?O que é original?Quais os caminhos que dentro de nós devemos seguir?Eu devo questionar ou permanecer alheia à suposta verdade?"Só sei que nada sei",termino minha (quem sabe) filosofia do mesmo modo que finalizo todas as minhas teorias: Com dúvidas.

Questione-se :
  • A foto do post realmente precisa combinar com o assunto tratado?Ou eu posso,simplesmente,olhar pro céu,da minha janela,e não olhar nenhuma estrela e depois colocar no post só porque senti falta delas?
  • Garotas adolescentes só pensam em moda,beleza e garotos (quase isso) e não têm mentalidade pra questionar coisas que não saiam de uma revista fashion?
  • isso tudo é conversa de doido?(certifique-se).

P.S.:Dia 30 de setembro completo um ano que não bebo coca-cola,nenhuma gotinha.Questione-se se esse veneno (uhul) é realmente necessário na sua alimentação.

beijão.

4 comentários:

Gabi disse...

Que lindo, Laís! Gostei muito do texto!
Vivo me questionando esse tipo de coisa... Acho que a verdade é que todos somos estereotipados de alguma forma, a sociedade impõe padrões e apartir do momento que não estamos dentro de um deles, seja qual for, passamos a ser tratados como estranhos. É engraçado isso, somos estranhos por agirmos conforme pensamos que é correto? Não devíamos ser estranhos pela falta de personalidade que a modernidade tem nos imposto? Será que realmente vale a pena mudar seu perfil para se enquadrar numa panelinha?
Não sei... Como sempre digo, viver é assustador!

Obrigada pela visita ao Psiquê. Estou te seguindo também!
Adorei o blog!

Desculpa o comentário imenso! Haha
:**

Milena' disse...

Se o seu post foi conversa de doido, somos duas doidas totais. Eu também venho me questionando, e muito, sobre isso. Porque a gente tem que dar importância pra coisas que são completamente inúteis pra NÓS? Dane-se que alguém, algum dia, virou e disse que tal coisa era importante. Nós é que devíamos escolher nossas prioridades, não?
E sobre as garotas adolescentes, acho que tem uma grande parte que é beem fútil e só sabe pensar em moda e blábláblá. Mas ainda existem muitas que conseguem equilibrar as coisas e pensam em coisas realmente importantes.
:*

Bill Falcão disse...

Tal qual o velho filósofo grego, eu também "só sei que nada sei"!
Bjoooooo!

Gabi disse...

Tem selo pra você no Psiquê!
:)