sexta-feira, 11 de março de 2011

Walt Disney World

Quando me perguntam que lugares quero conhecer,de cara digo: Itália,Grécia,Inglaterra e toda Europa setentrional,se possível.E sabe aquela história de escolher festa ou viagem aos quinze? Então,claro que nem cogitei festa,debutar não é algo que eu,bem,faria.Me restou a dúvida sobre pra onde viajar.Europa,claro,decisão tomada antes dos treze anos,já que nessa época eu não me sujeitaria a falta de vergonha que é ter que tirar visto.Quem esses demônios americanos pensam que são? Eu acreditava que,uma vez que os Estados Unidos fazem parte do mundo,ninguém poderia determinar quem pode e quem não pode entrar lá.O mundo é do mundo,ora.
Segui com esse pensamento,nada mais bobo e clichê do que ir pra Disney aos quinze.Até que minha irmã voltou de lá,Walt Disney World,e essa história de o mundo ser do mundo perdeu forças.Avaliei bem,mas,sabe como é,seria um outro mundo,o mundo de Disney.Tudo conspirava a favor desse mundo mágico: todos os meus amigos iriam,independência,já que não poderia ir a Europa só (decisão influenciada pelo filme Busca Implacável,que meus pais assistiram) e alguns dólares sobre meu total controle.É lá,sem dúvidas.

É claro que o verão em Orlando é horrível,40 graus todos os dias,mais precisamente,o dia inteiro sob sol escaldante.Tirar visto é uma coisa que realmente me envergonha,como brasileira.O Brasil gastou na Flórida,segundo o que me contaram no consulado americano em Brasília,nada menos que 500 milhões de dólares no ano passado,e ter que viajar até uma cidade com embaixada americana nem é um problema perto das enormes filas que se tem que enfrentar pra garantir sua entrevista.E a entrevista em si não teve perguntas ofensivas,mas saber que alguém saiu da sua cidade em direção Brasília pra tirar o tal visto e ter o visto negado,é muito,mas muito vergonhoso pra quem é brasileiro.

Mas o que importa mesmo é o mês de julho,que eu espero conhecer o tão sonhado (por mim) parque do Harry Potter,comprar lá feijõezinhos de todos os sabores e tudo relacionado ao livro.O Magic Kingdom,o parque Epicot,que reúne um pouco da cultura de alguns países como ITÁLIA,O Universal Studios,O Hollywood Studios,as lojas,Miami beach,os personagens,o castelo da cinderela,o Sea World,o Hard Rock,as montanhas-russas e tudo mais que faz parte desse maravilhoso mundo de Disney,que eu já amo.

8 comentários:

Gabriela Petrucci disse...

Nunca quis conhecer a Disney! :x
Mas quero um diário de bordo! :D

Anna Vitória disse...

Nunca tive vontade de conhecer a Disney, mas depois do parque do Harry Potter confesso que fiquei bem tentada. Harry Potter, né?
Quando fiz 15 anos não quis festa e nem viagem (porque meu sonho também é Europa): ganhei dinheiro e o show do Radiohead. Não me arrependo.
Mas tomara que você aproveite super sua viagem, que seja um sonho. Nunca foi o meu, mas conheço muuuita gente que foi e não se arrependeu nem um segundo.

Lorena Rocco disse...

Tem vontade de conhecer o mundo todo!
Tenho um primo que já foi na Disney 2 vezes! *-*

é uma chatisse isso de visto, mas se o Brasil, por exemplo, tivesse uma politica de imigração mais rigida talvez não teriamos tanto turismo sexual e afins.

Boa sorte, boa viagem e se divirta por mim, que por enquanto junto cadaa trocado pro meu MBA. ;)

-
ah, estive no carnaval em Salvador, mas não fui para a avenida. A minha familia - baiana - é meio devagar para essas coisas. ;)

bjo,
traz feijãozinho de todos os sabores para mim?? .-.

Milena' disse...

Viajar aos 15 anos sempre foi uma certeza pra mim. Mas eu escolhi Europa, o que atrapalhou tudo. Realmente, tem muitos impeçilhos, e a companhia é o maior deles. Tanto que até hoje, com 17 anos, estou esperando chegar o final de maio, pra ver se dessa vez vai. Tive que me contentar com debutar de vestidinho branco --'
Mas se eu fosse fazer 15 anos agora, acho que também escolheria a Disney, mas só pelo parque do Harry Potter. Acho que passaria todos os dias da viagem lá. hauahauahua
Quando julho chegar, boa viagem!
:*

Letícia disse...

Também não tenho toda essa vontade de ir a Disney, mas como boa fã das Princesas que sou tenho certeza de que vou me perder lá dentro e achar que fui mandada para outro mundo.
Beijos

Bill Falcão disse...

Como dizia Fernando Pessoa, "navegar é preciso, viver não é preciso."
Bjoo!!

Milena M. disse...

Sério que Em Outro Lugar é um dos seus preferidos? Um da Gabrielle Zevin? Se for, eu li esse livro ano passado e até gostei, mas não achei nada demais e troquei. Agora, A menina que roubava livros é só amor. E O Diário de Anne Frank eu sou louca pra ler, principalmente depois que vi o filme.

O livro sobre o menino autista se chama Dibs: em busca de si mesmo. Acho que deve ser mais fácil encontrá-lo em sebos, é beeem antigo. Minha mãe ganhou do Círculo do Livro. Se você quiser ler um dia, é bem legal :)

:*

Milena M. disse...

Verdade, se tudo for do jeito que aparece no livro, o pós-vida é algo reconfortante.
:*